Saiba melhorar a retenção de talentos da sua empresa em 6 passos

Há quem pense em colaboradores simplesmente como mais um recurso na folha de pagamento, pessoas facilmente substituíveis cujo único propósito é realizar o seu trabalho e bater o ponto. No entanto, esse paradigma está sendo desconstruído gradativamente por uma nova cultura que já vem sendo adotada por milhares de empresas mundo afora: a de reter e estimular talentos dentro das empresas.

Essa nova cultura é fruto do entendimento de que a retenção de talentos é uma prática vital para qualquer empresa que queira se manter no páreo em um mercado cada vez mais competitivo, em que a melhor garantia de ascensão da empresa é dispor de equipes com pessoas altamente qualificadas e motivadas.

Confira neste artigo algumas práticas essenciais para reter e desenvolver talentos dentro da sua organização.

1. Estruture um bom plano de carreira

O primeiro passo para desenvolver uma estratégia de retenção de talentos efetiva é criar um plano de carreira abrangente, afinal, não há nada mais desmotivador do que a falta de clareza sobre se — e o quanto — o seu colaborador pode progredir dentro da empresa.

Um bom plano de carreira deve ser composto por diversos artefatos, como uma descrição clara de toda a hierarquia pela qual o profissional pode ascender, em que devem ser elencados todos os cargos, suas responsabilidades e competências/qualificações necessárias para desempenhá-los.

Além disso, devem ser definidos KPIs e indicadores que permitam avaliar o nível de desempenho de todos os profissionais, para que as promoções e aumentos salariais sejam geridos de forma embasada e acertada.

2. Estimule a cultura de retenção de talentos entre os gestores

A tarefa de retenção de talentos deve ser direcionada a todos os superiores dos departamentos da empresa, ou seja, tanto aos headhunters responsáveis pelas contratações quanto aos gestores das equipes. Afinal, reter é a primeira etapa, sendo depois necessário desenvolver as pessoas, etapa esta em que deve haver sinergia entre todos os responsáveis pelas equipes.

3. Desenvolva a autossuficiência e liberdade de posicionamento dos colaboradores

Um dos grandes problemas de empresas que têm dificuldade em reter talentos é não estimular a autogestão e limitar a liberdade de expressão dos colaboradores. A ideia de contratar uma pessoa é justamente acrescer à equipe mais uma visão diferenciada no cenário, a qual possa contribuir para a otimização dos processos.

Limitar, dessa forma, a liberdade de expressar a opinião ou se posicionar frente a uma decisão importante, bem como propagar a cultura do “Cuide somente da sua parte”, pode rotular o colaborador como um ‘zumbi’ que somente segue ordens, o que dificulta o aproveitamento do potencial do profissional. Quem mais perde com isso é a própria empresa.

Permitir que as pessoas tenham liberdade para se posicionar, criticar, sugerir e se integrar a todos os processos — mesmo os não correspondentes às atribuições diretas delas — é uma ótima prática para assegurar que o trabalho sempre ande, mesmo que alguém não esteja presente, bem como se certificar de que você sempre terá olhos críticos atentos por perto.

4. Choque seus colaboradores e erradique zonas de conforto

A vida de verdade acontece um pouco além da sua zona de conforto, afinal, acomodação é igual a involução, e o mesmo vale para o âmbito corporativo. São os desafios e novas possibilidades que movem as pessoas, e esses desafios devem transcender toda a hierarquia da empresa.

Estimule constantemente o desenvolvimento dos seus colaboradores, proponha desafios e novas metas, delegue novas responsabilidades e permita que eles gerenciem operações. Além de fazê-los entenderem que são parte importante de todo o processo, isso permite que eles aprendam novas atribuições e se deparem com problemas e situações atípicas, contribuindo para o desenvolvimento de sua autossuficiência de gestão.

5. Invista em treinamento e capacitação

Investir no conhecimento dos colaboradores é outra prática essencial para a saúde financeira e organizacional da empresa. Qualificar os colaboradores é uma forte garantia de que você está construindo um time de alta performance que estará preparado para atender às necessidades diárias e imprevistas.

Além disso, capacitar não deve restringir-se somente a cursos e capacitações focadas em conhecimentos técnicos, como softwares e metodologias específicas da empresa. Auxílios com a própria graduação ou com um curso de idiomas, por exemplo, são ótimos investimentos, tanto para a vida pessoal quanto profissional do colaborador, a sua empresa com certeza vai colher os frutos disso também.

6. Seja um bom ouvinte

Sim, o assunto da vez é o bom e velho feedback. Compreender os seus colaboradores é essencial para o desenvolvimento deles e para a resolução de qualquer problema que esteja limitando o seu potencial: quais são as suas angústias, limitações, dúvidas, problemas, necessidades e vontades.

Além de ouvi-los com muita atenção, é necessário ser direto e transparente no feedback, deixando claro para eles tanto os pontos positivos do seu trabalho quanto qualquer insatisfação ou problema que você tenha notado.

Conhecer muito bem o perfil de cada colaborador é a maneira mais efetiva de erradicar qualquer problema que o esteja preocupando ou limitando, e isso é bom tanto para ele quanto para a sua equipe como um todo, afinal, o problema pode estar estendido para além de uma pessoa só, prejudicando a efetividade do time inteiro.

Como visto, a retenção de talentos é a maior garantia dos gestores de que suas equipes serão altamente eficazes e que conseguirão atender às demandas da empresa, e a importância disso vem sendo notada como nunca.

Os seus funcionários terão interface direta e constante com os clientes, muito mais, inclusive, do que você ou qualquer outro profissional do alto escalão da empresa. Isso significa que a saúde mental e profissional, o conhecimento e a motivação do seu time serão refletidos diretamente nos seus negócios.

Por isso, é essencial engajar e estimular todos os talentos dentro da empresa, afinal, eles são o coração da organização e a representam diretamente frente aos responsáveis pela ascensão financeira da sua empresa: os clientes.

Em posse das boas práticas elencadas neste artigo, aprimore seus conhecimentos conferindo nossas 5 dicas de gestão de pessoas que fazem diferença em uma empresa.

Daiane Rolim
Sem comentários.
Comente