RH estratégico: como o uso da tecnologia auxilia nessa transformação

Já parou para pensar que um redesenho interno em sua empresa poderia fazer seu RH se tornar um RH estratégico? As mudanças constantes no mundo dos negócios impulsionaram as organizações a redefinirem seus processos, acrescentando estrutura mais enxuta, automatização, descentralizações e profissionais mais versáteis.

Nessa perspectiva, a área de Gestão de Pessoas também vem passando por uma ressignificação, deixando de lado suas funções meramente burocráticas, de controles e alimentação de planilhas, para se tornar fator de sucesso primordial no negócio.

Atualmente, a área de Gestão de Capital Humano precisa estar em perfeita harmonia com a estratégia das empresas, não se limitando apenas ao atingimento das metas e resultados anunciados no planejamento estratégico: o mundo dos negócios do novo milênio exige dos profissionais de recursos humanos a capacidade de antever tendências, delimitar cenários e buscar constantemente por soluções inovadoras.

Ou seja, estamos falando um novo RH, um RH estratégico, indispensável nos dias de hoje para manter a competitividade das empresas no mercado.

Se seu RH está longe de ocupar essa função, vamos mostrar a partir de agora como o uso da tecnologia pode auxiliar nessa transformação, dando mais dinamismo, efetividade e maior participação nos resultados da organização!

A era do RH digital

A tecnologia é uma ferramenta imprescindível aos gestores de RH para qualificar mais a gestão e liberar tempo para que a equipe de pessoal se dedique a questões mais estratégicas dentro da empresa (como ações para melhoria do desempenho, contratação dos melhores talentos do mercado etc.). Ela automatiza processos, garante eficiência operacional, engaja as pessoas e fornece informações em tempo real para a tomada de decisões. Mas a relação entre TI & RH não para por aqui.

No mercado competitivo atual, é preciso compreender que os funcionários são, antes de tudo, consumidores de serviços de RH. Sob essa ótica, é preciso engajá-los dentro de seus processos e plataformas, questões que passam necessariamente por redimensionamento tecnológico e melhoria da infraestrutura computacional da organização.

Atualmente, as pessoas estão conectadas 24 horas por dia por meio de seus smartphones, e a Gestão de Pessoas não pode ignorar esse fenômeno. É preciso, nessa perspectiva, entregar soluções que conectem as pessoas à empresa, facilitando processos e proporcionando aos colaboradores uma experiência de usuário extraordinária. Somente assim os profissionais se engajarão com a empresa e, por consequência, com seu business, ampliando produtividade, reduzindo custos e impactando os resultados financeiros da organização.

Vamos mostrar, na prática, o que a TI vem trazendo de novo para a consolidação de um RH estratégico.

Computação cognitiva para consolidação de um RH estratégico

De fato, a TI em RH vem redesenhando os limites da antecipação de cenários e da previsão de situação críticas à empresa. Quer um exemplo prático? Já existem pesquisas em estágio bastante evoluído com computação cognitiva que visam desenvolver soluções que identificam, por exemplo, quando os funcionários pedirão desligamento da empresa.

Uma solução como essa garantirá maior tempo de resposta aos gestores para encontrarem um novo profissional adequado às necessidades da empresa, além de subsidiar informações que auxiliarão na análise das causas de turnover e possíveis ações para combatê-lo. Estamos falando em economia de custos, menor esforço e mais assertividade.

Análise de cargos x perfil dos candidatos

Mais um exemplo do quanto um software de RH baseado em Business Intelligence pode revolucionar processos internos na Gestão de Talentos. A análise de cargos se ocupa dos requisitos que o candidato deve possuir para desempenhar suas atividades em linha com o que a empresa necessita.

Ocorre que nas diversas fases do processo de seleção, as dinâmicas de grupo, testes e entrevistas transbordam um oceano de indicativos de competências e traços de personalidade de cada postulante que passam ao largo do olhar dos recrutadores.

Não há como absorver tantas variáveis a olho nu, o que resulta, vez ou outra, em contratações equivocadas e, em um segundo momento, na refação de todo o processo seletivo. Todo esse esforço poderia ser evitado com o auxílio de um sistema de Inteligência Empresarial para RH.

Treinamento & Desenvolvimento

Um moderno sistema de gestão para RH consegue monitorar o cumprimento de metas de vendas ou de projetos gerenciados, cruzando os dados de todos os colaboradores para análise das falhas em cada processo.

Todos esses dados agregados em uma única base, e disponíveis para acesso em tempo real, são o ponto de partida para realização de análises que vão mostrar aos profissionais da área de Gestão de Pessoas quais conhecimentos, habilidades e atitudes têm faltado nas equipes da companhia. Essa consciência plena do material humano possibilitará o desenvolvimento de cursos de capacitação exatos às necessidades da empresa — além de subsidiar com maior objetividade as políticas de promoção, avaliações de desempenho e até demissões.

Rastreamento em redes sociais por meio de ferramentas de Big Data Analytics

A fase de recrutamento é uma das mais exaustivas no processo de preenchimento de vagas em aberto. Que tal se esse trabalho de “mineração” dos melhores talentos do mercado fosse feito de forma eletrônica, por meio de soluções em Big Data capazes de executar “varreduras” em sites como LinkedIn (e destacando, portanto, os perfis profissionais que mais tenham proximidade com os valores da empresa)? Eis mais um exemplo de uso da tecnologia para otimizar processos e ajudar a moldar um RH estratégico, que impacte os resultados da organização!

Políticas de remuneração

Segundo dados da consultoria de negócios Bersin & Associates, as organizações que contam comestratégias de RH integradas aos negócios têm 40% menos rotatividade e o dobro de produtividade por colaborador. Isso porque o conjunto de ferramentas disponíveis permitem não somente realizar contratação mais assertivas, mas também gerenciar as práticas remuneratórias do mercado, mantendo a empresa sempre alinhada com os valores praticados no setor.

A compatibilidade entre os planos de carreira/benefícios e as performances individuais e globais pode também ser permanentemente revisada eletronicamente, gerando insights mais justos e precisos para formulação de políticas de recompensa na organização.

Ficou curioso em saber o potencial de resultados que a tecnologia em Gestão de Pessoas pode trazer à sua empresa?

Daiane Rolim
Sem comentários.
Comente