Quais são os pilares da governança corporativa de uma empresa?

As formas de administrar uma empresa evoluíram bastante ao longo do tempo, passando de estruturas muito hierarquizadas e exploratórias para uma gestão mais flexível e pautada em valores. Surge, então, a governança corporativa como uma forma de administração bem diversa, mas que possui alguns pilares fundamentais em sua essência. Por meio dela é possível gerar desenvolvimento econômico com sustentabilidade e estratégia, otimizando a imagem da corporação e aumentando sua perenidade.

Ficou interessado em conhecer mais sobre os pilares da governança corporativa? Então leia este post:

O que é governança corporativa?

A governança corporativa é o sistema de administração da empresa, envolvendo as relações dela com a sociedade, com o meio ambiente e com o mercado. É o conjunto de condutas de gestão da empresa envolvendo hábitos, valores, regras e princípios. Isso envolve também o monitoramento e fiscalização da corporação.

O que caracteriza uma boa governança corporativa e qual a sua importância?

A boa governança corporativa é aquela que concilia o atendimento de interesses da corporação com o respeito às leis, à sociedade e ao meio ambiente. Ela envolve também uma gestão pautada em valores, promovendo dignidade e qualidade de vida aos trabalhadores e em conjunto crescimento econômico e longevidade para a corporação.

Em aspectos práticos, a boa governança corporativa possibilita manter uma imagem positiva, evitar problemas fiscais e jurídicos, promover mais qualidade de vida para os colaboradores e um melhor clima organizacional. Com relação a questões mais globais, ela possibilita um crescimento com sustentabilidade, respeito à sociedade e ao meio ambiente.

Quais são os pilares da governança corporativa?

Há muitas formas de governança corporativa, mas existem alguns princípios básicos que sustentam todas essas estratégias. Confira os pilares dessa forma de administração:

Transparência

Transparência significa deixar claros os processos, decisões e questões da organização para a sociedade, para o Estado, para os clientes e para qualquer 3º que se relacione com a empresa, os chamados stakeholders. Isso é muito importante por contribuir para uma boa imagem da corporação. Se os processos são esclarecidos, não há razão para desconfiar da gestão da organização.

Além disso, investidores de ações vão preferir investir na corporação transparente, pois sabem que há mais segurança, ética e possibilidade de retorno naquele negócio. Um empreendimento confiável — isto é, que demonstra ética e respeito com a coletividade — também tem melhores relações com a fiscalização e com a sociedade.

A Natura, por exemplo, tem se destacado em transparência. Ela divulga relatórios que mostram a energia elétrica gasta pela empresa, a emissão de gás carbônico, os investimentos em inovação, os apoios e os patrocínios e várias outras informações relevantes. Com isso, ela fica bem posicionada no mercado e alcança um público bastante consciente.

Equidade

Dentro da governança corporativa, a discriminação não tem espaço. Isso significa assegurar a possibilidade de participação a todos os grupos interessados na empresa. Clientes, fornecedores, colaboradores e investidores têm muito com o que contribuir.

Segregar minorias, profissionais de cargos mais operacionais e contribuições de grupos sociais, por exemplo, pode prejudicar muito uma empresa. Além de deixar a visão dela muito restrita, sua imagem fica como a de uma organização com pouca responsabilidade social e valores pouco sólidos.

Algumas empresas oferecem, por exemplo, programas de promoção da igualdade de gênero. Neles, a corporação adota várias medidas, como incentivo das mulheres a participarem de áreas que são tradicionalmente ocupadas por homens e oferecimento de auxílio-creche para filhos de profissionais do sexo masculino.

Prestação de contas

Prestar contas é apresentar suas movimentações financeiras. E isso deve ser feito de forma clara, acessível e legível. Aqui também é importante que a gestão assuma as responsabilidades por suas ações, inclusive das omissões que possam ter ocorrido. Essa é uma medida importante por vários motivos.

Quando se trata dos investidores, é preciso pensar que, se alguém injeta capital em uma empresa, dar a ele um retorno é necessário e importante para manter o laço de confiança. Além disso, isso demonstra agradecimento e uma postura pautada em valores. Ao considerar também o Estado, prestar contas é necessário para manter uma boa situação jurídica e fiscal.

Essas atitudes por parte da empresa demonstram ética e comprometimento, evitam polêmicas e problemas da corporação ou de membros dela com desvios de recursos ou corrupção.

Responsabilidade corporativa

Nesse pilar, um objetivo muito importante é perenizar o negócio, ou seja, torná-lo algo duradouro. E, para isso, é fundamental investir em sustentabilidade. A corporação responsável busca realizar medidas harmonizadas com o meio ambiente e com a sociedade.

Para isso, ela preserva recursos naturais e a qualidade de vida das comunidades do entorno e dos colaboradores. A Lush, por exemplo, é uma empresa em grande expansão no mercado que produz cosméticos de forma sustentável e sem testes em animais.

Essas medidas trazem inúmeros benefícios para a corporação. Os consumidores estão cada vez mais ativos politicamente e exigentes com a responsabilidade ambiental das organizações. A legislação também está mais rigorosa e, sendo ética, a corporação evita multas e punições.

Também com responsabilidade, a empresa não prejudica as comunidades, além de garantir a continuidade do acesso à matéria-prima e aos recursos naturais. A sustentabilidade às vezes envolve alguns investimentos iniciais, mas sempre acaba desencadeando em mais economia e benefícios de longo prazo porque evita problemas com o governo, com a perda de clientes e com prejuízos para a sociedade.

A governança corporativa é um sistema de gestão da empresa baseado em alguns princípios básicos. A transparência se refere à corporação deixar claros seus processos, mostrar quem são seus fornecedores e os procedimentos que ela realiza.

A equidade busca combater segregações de minorias, seja por classe social, cargo, gênero, origem ou cor.

A prestação de contas é importante para a empresa mostrar sua posição frente aos fornecedores e ao Estado, demonstrando coerência e arcando com suas despesas adequadamente.

E a responsabilidade corporativa significa promover desenvolvimento econômico de forma sustentável e com respeito às sociedades e ao meio ambiente.

Todas essas medidas favorecem muito a imagem da empresa e propiciam mais longevidade e estabilidade para ela no mercado. E então, gostou de conhecer os pilares da governança corporativa? Confira também o post “O que é governança corporativa e como implantá-la na sua empresa?”.

Paulo Ronchetti

CEO ITS

Sem comentários.
Comente