Mais vendas nas lojas físicas e e-commerce

Com as ferramentas certas, lojas físicas e e-commerce podem lucar mais. Segundo o site E-bit, que calcula anualmente os resultados do comércio varejista online no Brasil, em 2015, o faturamento das vendas nessa modalidade de negócios aumentou 15,3% quando comparado ao ano anterior, totalizando R$ 41,3 bilhões. O total de pedidos no ano fechou em R$ 106,5 milhões e o tíquete médio cresceu 12%, chegando a R$ 388,00. Todos esses dados comprovam que, mesmo em tempos de crise, o e-commerce continua expandindo e as vendas não podem ser deixadas de lado. Mas você já parou para pensar que as lojas físicas também têm seu espaço nesse cenário? Este é o conceito de Omni-channel. Neste post, vamos entender por que é importante continuar vendendo em lojas físicas e no e-commerce em tempos de crise.

Independentemente do contexto econômico e social em que o País se encontra, as pessoas continuam comprando. O relatório do E-bit demonstra que há espaço para as empresas venderem seus produtos – e só não vai aproveitar quem não quiser. Seja nas lojas físicas, seja no e-commerce, a sua empresa pode continuar ganhando muito dinheiro se você souber lidar com as ferramentas certas.

Lojas físicas

Você pode até pensar que ter uma loja física nos dias de hoje é um retrocesso. Ledo engano. Pesquisas demonstram que as lojas físicas atraem clientes porque elas não são substituídas pelo e-commerce; na realidade, são complementares. Esse debate está bem acirrado nos Estados Unidos, país em que os varejistas já perceberam que, para ter mais retorno, é necessário ter os dois tipos de comércio.

A loja física é um espaço no qual o cliente pode sentir mais confiança, podendo olhar e experimentar os produtos e serviços. Ou seja, a loja física ajuda a criar uma experiência diferenciada de consumo, algo que, em tempos de crise, pode ser fundamental para a sua empresa conseguir fechar mais vendas.

E-commerce

Como já mostramos, o e-commerce vem crescendo a cada dia. Em tempos de crise econômica, este canal torna-se uma maneira de o cliente pesquisar preços e obter descontos mais facilmente, fazendo o melhor negócio sempre.

Como a internet disponibiliza uma série de sites de lojas, o consumidor tem a possibilidade de encontrar a melhor oferta. Além disso, os cupons de desconto estão sendo bastante utilizados a fim de atrair mais clientes.

Segundo a E-bit, os setores que mais atraem os clientes virtuais são telefonia/celulares, moda, acessórios e eletrodomésticos. A maioria das compras é feita por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

Equlibrando o negócio

Como você viu, lojas físicas e virtuais são importantes para engajar consumidores, atrair clientes e inserir a sua empresa no conceito de omni-channel. O que isso significa? O omni-channel é uma evolução do multi-channel, ou seja, esse novo tipo de consumidor usa todos os canais que são disponibilizados, incluindo lojas físicas e e-commerce­, para encontrar o produto ou o serviço que está procurando pelo melhor preço.

O papel da empresa nesse contexto é atender ao consumidor em todos os canais. O benefício é que, segundo o IDC Retail Insights, esse novo tipo de consumidor gasta de 15 a 30% mais que o multi-channel. Por isso, empresas que se engajarem nessa ideia têm mais chances de sobreviver à crise econômica.

Agora você já sabe: o consumidor não distingue mais entre lojas online e offline: ambas são atrativas e procuradas conforme a necessidade do comprador. Portanto, é importante continuar vendendo em lojas físicas e virtuais em tempos de crise. Assim, você obterá mais clientes e poderá aumentar a sua margem de lucro.

Queremos saber o que você pensa sobre o assunto. Conte-nos aqui nos comentários.

Marco Endres
Sem comentários.
Comente