Lean thinking: como aumentar a produtividade e reduzir custos no agronegócio?

Estamos próximos do último Quarto do ano, sendo que algumas empresas já fazem o balanço do plano de negócio objetivado para 2016, analisando os sucessos e insucessos “colhidos” até então. Outras, no entanto, continuam a esperar algum fato novo para poder contar com algum resultado positivo no final do período.

No início do ano, a Fundação Dom Cabral publicou uma pesquisa sobre o impacto dos custos logísticos em empresas de diferentes portes. Uma boa análise que serve de orientação para aqueles gestores que ainda não definiram ações que possam trazer melhoria no resultado financeiro de suas áreas. Em suma, a pesquisa mostra que, em média, empresas despendem mais de R$ 11,00 para cada R$ 100,00 em vendas para a parte que compete a gestão operacional logística. A pesquisa abrange o valor médio despendido, sem observar o potencial de melhorias decorrentes de desperdícios não identificados e que estão inseridos nesse processo.

Trata-se de uma boa referência para aqueles que ainda buscam o melhor caminho para tentarem diminuir algum impacto financeiro nesse último Quarto, porém precisam ir um pouco mais a fundo para conseguirem identificar oportunidades de melhorias específicas. Sem as ferramentas corretas, sem padrão de trabalho e sem ação, resultados não virão.
Essa visão também se aplica perfeitamente para matrizes de gestão em empresas com foco no agronegócio. A otimização das rotinas de produção é uma necessidade de negócios de qualquer área. No setor agrícola, não é diferente. Possuir uma cadeia operacional com alta eficiência e baixo índice de desperdícios é crucial para quem busca garantir a chegada de um produto de boa qualidade aos pontos de vendas.

Para atingir tal objetivo, diversas técnicas podem ser implementadas. Entre elas, destacamos o lean thinking. Também chamado de “pensamento enxuto”, essa forma de administrar o ambiente operacional de um empreendimento tem como foco a otimização de rotinas e direcionamento do foco das estratégias para as necessidades de clientes.

A velocidade de atendimento a consumidores, o suporte a parceiros comerciais e o nível de desperdício serão otimizados continuamente. Isso será feito com o auxílio de um conjunto de técnicas que amplia a capacidade de o negócio se manter lucrativo e com alto poder de expansão.

Embora criado em ambientes de manufatura, o lean thinking já está sendo difundido em inúmeros setores. De áreas voltadas para a tecnologia da informação à agricultura, é possível encontrar ambientes corporativos em que o chamado “pensamento enxuto” transformou a forma de realizar negócios.

Quer saber mais? Então leia este post e saiba como essa metodologia pode otimizar as rotinas do setor agrícola.

O que é lean thinking e como ele pode melhorar o desempenho do agronegócio?

Cunhado na década de 1980 pelo professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts James Womack, o termo “lean” está ligado a uma série de técnicas que agilizam processos produtivos e tornam empresas mais focadas em seus objetivos.

A filosofia lean tem as suas bases no Sistema Toyota de Produção e é baseada em 5 princípios que, juntos, criam um sistema de gestão estratégica voltada para o aumento da satisfação dos clientes. São eles:

Valor

Essa premissa é uma das mais básicas do desenvolvimento ou venda de um produto. Ela está baseada no princípio de que o cliente deve definir o que agrega valor a um produto. Nesse sentido, a criação de estratégias deve ser voltada para entender os desejos do mercado. Com esse conhecimento, o gestor pode tornar processos mais eficazes e planejar estratégias de vendas mais lucrativas.

Esse é um ponto crítico para iniciar o uso do lean thinking no ambiente corporativo. Ele é criado do ponto de vista do cliente e pode variar conforme o setor de atuação do negócio. Mas, em todos os casos, é voltado para a disponibilização ao mercado dos produtos que ele necessita.

Nesse sentido, a valorização de uma mercadoria deve ser feita de acordo com aquilo que chama mais atenção para o seu público. A venda de um laticínio com calorias reduzidas, por exemplo, pode ser feita com foco no auxílio que o produto dará àqueles que precisam perder peso ou ter uma dieta mais equilibrada. Em resumo, deve-se especificar quais são as características de um produto que podem auxiliar o dia a dia de uma pessoa.

Para que isso seja possível, todos os itens da cadeia operacional devem ser mantidos em um constante processo de evolução, com produtores avaliando a melhor forma de manterem as suas áreas de plantio produtivas e buscando métodos de cultivo mais econômicos. Dessa forma, os produtos que vão para a mesa do consumidor terão índices de agrotóxicos reduzidos, menos defeitos e maior valor agregado.

Fluxo de valor

Este princípio está voltado para a identificação de quais etapas são responsáveis por agregarem maior valor a um produto. As que não sejam capazes de gerar um grande impacto no valor final de um item, causem gargalos operacionais ou estejam relacionadas a desperdícios devem ser eliminadas ou replanejadas. Para isso, o gestor deve focar em processos mais eficientes, aumento do nível de automação e investimento em processos operacionais mais modernos.

Toda a cadeia operacional deve ser mapeada para reduzir custos. Etapas ambíguas, com baixa capacidade de agregar valor ao produto final e que possam ser automatizadas devem ser revistas. O caminho, nesse caso, é avaliar quais processos podem ser replicados e como a empresa pode se tornar mais eficaz a médio e longo prazo.

Fluxo contínuo

O 3º princípio, o fluxo contínuo, é voltado para a criação de uma rotina de trabalho ágil e com baixo nível de interrupções. Ao investir na melhoria da cadeia operacional, o agronegócio consegue atender em prazos menores às demandas do mercado. Da mesma forma, a adaptação a mudanças será feita em um período mais curto, o que tornará todo o negócio mais lucrativo e com serviços de maior qualidade.

Esse princípio está relacionado a uma grande mudança na forma como a estrutura do negócio é planejada. Gestores devem ter em mente que, para estar adequada ao lean thinking, uma empresa deve ter um arranjo de funções mais flexível e com maior integração.

Ao alinhar profundamente todas as etapas de um empreendimento, obtém-se um processo de produção que exige menos esforços, é mais rápido e com maior qualidade final. Como consequência, a empresa vai aumentar a sua produtividade e todos vão trabalhar na busca de um portfólio de produtos e serviços mais competitivo.

Produção puxada

O 4º princípio é focado na otimização da produção de recursos. Manter um produto estocado por um longo período pode ter um grande impacto nos custos operacionais e nas receitas do empreendimento. Nesse sentido, é importante que o agronegócio consiga tornar os seus processos logísticos e de gestão de estoque mais eficazes e com menores índices de desperdício.

Em geral, empresas enfrentam altos níveis de desperdício nas seguintes etapas de seus processos de produção:

Gestão de estoque

Não raramente, produtos são mal-alocados ou armazenados por longos períodos sem que sejam tomadas medidas para aumentar a sua evasão.

Transporte

Problemas de logística podem tornar o transporte de carga mais caro e menos eficaz.

Gargalos operacionais

Erros diversos podem diminuir a fluidez dos processos internos, tornando a entrega de produtos mais lenta.

Defeitos

Processos de produção com baixo nível tecnológico muitas vezes geram produtos com maior índice de erros e de baixa qualidade, o que impactará diretamente nos lucros da empresa.

Falta de foco

A má gestão pode reduzir a capacidade do empreendimento de focar em produtos de maior destaque e em atividades críticas.

Excesso de produção

Sem conseguir avaliar quais são as tendências do mercado, o empreendimento pode acabar produzindo materiais além da sua capacidade de vendas.

Quando o cliente puxa a demanda (e não o oposto), o uso de materiais passa a ser mais econômico, e a cadeia operacional tem um carga de trabalho menor. Com isso, erros e gargalos podem ser eliminados em prazos menores.

A produção puxada elimina a necessidade de uma empresa realizar descontos e promoções frequentemente para vender produtos com baixa vazão. Todos os processos serão racionalizados. Por meio de um planejamento voltado para as tendências do mercado e a identificação de flutuações na demanda, será possível diminuir o número de itens que é produzido em excesso e, assim, tornar a gestão orçamentária mais precisa.

Perfeição

Para se manterem competitivas, empresas devem otimizar os seus processos continuamente. Processos, pessoas e produtos precisam ser avaliados a todo momento, permitindo que analistas e gestores consigam identificar falhas que impactem negativamente nos resultados de cada setor. A busca pela otimização do negócio terá como resultado a criação de um fluxo de melhorias e inovação, que torna o empreendimento mais competitivo e capaz de atingir novos mercados com maior facilidade.

Todos os princípios citados acima interagem entre si para que seja possível criar um ciclo de geração de receitas dentro do negócio. No ambiente agrícola, isso implicará no direcionamento dos processos de produção e melhoramento para as necessidades do público alvo da empresa.

Consequentemente, o lean thinking passará a ser visto como um fator estratégico, que amplia a capacidade do empreendimento e torna produtos mais lucrativos.

Pensamento enxuto: quais são as vantagens de implementá-lo no negócio?

Antes de implementar qualquer mudança em seu negócio, gestores buscam avaliar o impacto que as novas medidas terão na rotina da empresa. Será definido como os custos de gestão serão impactados, quais fatores podem ser otimizados e como as receitas serão influenciadas.

No caso do lean thinking, podemos destacar como principais benefícios de médio e longo prazo:

Melhora na qualidade do produto final

Grande parte das atividades que envolvem o uso da metodologia lean estão voltadas para a melhoria da qualidade dos serviços executados no negócio. Conforme o número de problemas identificados aumenta, novas técnicas de troubleshooting são aplicadas, eliminando as falhas direto na sua raiz. A partir disso, a qualidade dos produtos é ampliada continuamente, gerando um fluxo contínuo de receitas.

Melhorias na capacidade de gerenciamento do ambiente corporativo

Outro benefício causado pelo lean thinking é a capacidade do gestor avaliar rapidamente o estado do ambiente de produção. As técnicas da metodologia serão implementadas de tal forma que os líderes de cada área passarão a ter uma visão ampla da cadeia operacional. Como resultado, anomalias serão identificadas rapidamente, tendo um baixo impacto no ritmo de produção.

Aumento da eficiência

Processos operacionais serão redefinidos para garantir que cada pessoa atue da forma mais eficaz possível. Todos as rotinas serão padronizadas e, com isso, será possível aumentar a produtividade em setores de logística, gestão e administração. Esse padrão de qualidade será obtido por meio de treinamentos, criação de uma documentação com os procedimentos operacionais padrão e busca; no mercado, por padrões de trabalho mais eficazes.

Criação de equipes mais enxutas

Um dos grandes benefícios do lean thinking é a redução de número de pessoas necessárias para a execução de uma tarefa. Com uma rotina operacional padronizada, implementação de novas ferramentas de trabalho e redução de gargalos, todas as rotinas do negócio serão executadas com um número menor de profissionais. Como consequência, a habilidade da empresa executar um processo com uma equipe enxuta passa a ser uma realidade palpável.

Em outras palavras, o lean thinking leva a um direcionamento maior das prioridades de cada setor. A definição de prioridades se dará de acordo com os objetivos do negócio e, com isso, os profissionais serão realocados de acordo com as suas habilidades.

Maior facilidade em administrar todas as áreas

A metodologia lean thinking torna a gestão de projetos e processos administrativos muito mais simples. Como várias rotinas estarão padronizadas e disponíveis para consultas por meio de uma documentação abrangente, será mais fácil para cada profissional entender como o seu trabalho pode ser executado.

Problemas poderão continuar surgindo. No entanto, eles serão mais fáceis de serem eliminados e terão um impacto no dia a dia do negócio. Além disso, o alinhamento de processos e objetivos será feito com mais precisão, ampliando a capacidade de criar receitas da empresa.

Criação de um ambiente de trabalho com alto nível de engajamento

O lean thinking deve envolver todos os setores do negócio. Ele não deve ser adaptado apenas a uma área, uma vez que isso vai diminuir a sua capacidade de otimizar a empresa. Nesse sentido, ele deve ser entendido como uma filosofia que auxilia o gestor a promover a ideia de que todos os profissionais fazem parte do negócio e, com isso, devem atuar para atingir as metas de médio e longo prazo.

Eliminação de problemas

Ao ser implementado em um negócio, o lean thinking vai forçar gestores a atacar problemas antigos ou que ainda não tenham sido identificados pela empresa. Análises serão feitas para avaliar como cada time atua e a viabilidade de processos operacionais. Por meio de um trabalho integrado, o gestor vai garantir que todos atuem para garantir que cada falha seja eliminada completamente.

Aumento da segurança do ambiente de trabalho

Uma rotina administrativa mais eficaz auxilia o negócio a ser mais eficiente e seguro. Quando processos de baixo valor são eliminados e falhas corrigidas, o ambiente de trabalho passa a ter menos incidentes e interrupções em função de acidentes menos frequentes. Isso terá um impacto direto na competitividade do negócio.

Melhoria nos índices de satisfação interna

No longo prazo, o lean thinking terá uma influencia direta na melhora dos índices de qualidade e satisfação internos. Profissionais terão uma visão mais ampla do seu papel e, como consequência, a sua visão acerca do seu papel dentro do negócio será modificada. Todas os profissionais se identificarão como parte fundamental de um processo de criação de resultados e expansão de receitas.

A implementação do lean thinking tem um imenso impacto nas atividades do negócio. Processos serão definidos com mais precisão e falhas eliminadas em maior quantidade. Junto com o desenvolvimento de um ambiente de trabalho integrado, ele terá como consequência a ampliação da competitividade de todos os produtos e serviços do empreendimento.

Como adotar a metodologia lean thinking no agronegócio?

No geral, a adoção do lean thinking pode ser feita por meio de 5 etapas. Elas vão afetar a forma como rotinas são gerenciadas, processos implementados e a distribuição de tarefas é executada. Assim, os passos podem ser definidos da seguinte forma:

Identifique o que é valor para o cliente

A criação de valor deve ser uma preocupação constante para o gestor. Nesse caso, ela é feita avaliando a forma como o cliente vê o produto e, assim, identificando se as estratégias de mercado refletem essa visão. Com isso, as abordagens comerciais poderão ser redefinidas para que o as campanhas de divulgação, desenvolvimento e vendas de cada mercadoria tenham um impacto maior.

Nesse sentido, várias atividades podem ser eliminadas ou redimensionadas para que o negócio consiga atender melhor às expectativas do seu público. Processos logísticos, por exemplo, podem passar por um replanejamento. Assim, o tempo necessário para entrega de produtos, junto com a sua qualidade final, será otimizado drasticamente.

Tenha em mente que um volume de produção bem dimensionado, capaz de gerar ganhos em escala, permitem a sustentação de um fluxo de receitas de longo prazo. E, em um ambiente com alta competição, no qual clientes dispõem de diversas opções de consumo, é importante garantir que os seus produtos terão maior capacidade de atrair novos compradores. Assim, a empresa poderá atingir novos mercados facilmente.

Faça um mapeamento do fluxo de produção e identifique desperdícios

Para que seja possível agregar valor a um produto e, ao mesmo tempo, reduzir custos, o gestor deve mapear todo o fluxo de produção. Todas as atividades da empresa serão mapeadas, criando uma visão abrangente do estado do negócio. Assim, será possível avaliar criticamente como cada etapa do processo de criação de serviços da empresa pode ser otimizada.

Deve-se avaliar como um produto é direcionado ao longo da cadeia operacional do empreendimento. Fatores como gargalos operacionais, atividades repetitivas e rotinas que não sejam úteis para direcionar o negócio de acordo com as necessidades do cliente devem ser eliminados. Como consequência, a cadeia operacional será mais enxuta e com um nível de agilidade maior.

A empresa deve ser capaz de avaliar o seu fluxo de trabalho a partir de 3 perspectivas:

  • no ambiente real, em que existem falhas;
  • no ambiente ideal, em que não existem problemas;
  • no ambiente em que é possível atingir uma meta dentro das capacidades do negócio.

Diante disso, será possível consolidar uma mudança efetiva, que terá um grande impacto nos processos do negócio.

Implante o fluxo contínuo

O fluxo contínuo busca diminuir o tamanho de lotes e, com isso, reduzir defeitos e o tempo gasto para processar materiais. Para que ele seja estabelecido, é necessário reavaliar toda a cadeia operacional do negócio. Ela vai trabalhar com lotes menores, definidos de acordo com a demanda do mercado.

Esse trabalho terá como consequência uma melhor categorização de serviços e um direcionamento mais eficaz de recursos. O arranjo de cada atividade vai exigir um número de profissionais menor e, assim, o empreendimento terá a capacidade de agregar valor aos seus produtos ampliada.

Permita que o cliente “puxe” a produção

O atendimento das demandas do mercado é crucial para garantir o sucesso de um negócio. Quando o lean thinking é implementado eficientemente, a empresa torna a sua rotina de produção mais eficiente e adaptada para o nível de vendas de cada época do ano. Em outras palavras, o consumidor vai “puxar” a produção de novas mercadorias, mantendo o fluxo de trabalho com menos desperdício e estoques com melhor gerenciamento.

Invista em melhorias e busque a perfeição dos processos/produtos

A adoção do lean thinking prevê a otimização contínua dos processos de produção do negócio. As estratégias da empresa deve ser direcionadas para que seja possível avaliar a eficácia operacional do empreendimento, identificar problemas e, assim, adotar medidas que ampliam a performance de todos os setores. A compreensão clara de como todas as atividades são gerenciadas, assim como as suas falhas, vai criar um fluxo de melhorias contínua, com impacto direto nas receitas do empreendimento.

Conclusão

A pressão de consumidores por preços mais competitivos, assim como a necessidade de atuar em um mercado globalizado, levou companhias a adotarem novas formas de gestão. Isso ocorre principalmente em setores como o agronegócio, que são focados em custos precisos, ótima qualidade e entregas pontuais. Neles, a exploração de competências gera vantagem competitiva e, consequentemente, lucros.

Nesse sentido, podemos destacar a filosofia lean thinking, que foi criada tendo como base a filosofia de produção desenvolvida dentro das fábricas da Toyota e hoje já esta difundida por todo o planeta. Onde é implementada, essa forma de ver negócios se torna peça fundamental de processos operacionais mais eficazes e ágeis. Ela vai influenciar melhorias em termos de qualidade, competitividade, redução de custos e maior flexibilidade.

Por ser versátil, o lean thinking pode ser visto como uma filosofia fácil de ser alinhada com os objetivos do empreendimento. Desperdícios são eliminados e os ciclos de produção ganham maior capacidade de atuação. A longo prazo, essa metodologia auxilia a empresa a reduzir os seus custos operacionais, ter tempos de ciclo mais precisos, eliminar atividades desnecessárias e, assim, tornar-se mais competitiva e com maior capacidade de atender às demandas do mercado.

Nos próximos anos, o lean thinking vai auxiliar setores que atuam em mercados globalizados (como o agronegócio) a fornecerem produtos com maior valor agregado, mais qualidade e em maior quantidade. O foco estratégico será voltado para os objetivos do cliente, sendo as campanhas de vendas focadas na valorização do produto e dos seus aspectos que causam impacto no dia a dia de cada pessoa. Como consequência, será criado um ambiente operacional de alta performance e capaz de criar grandes receitas.

Não sabe como o lean thinking pode impactar uma empresa? Nós podemos ajudar! Acesse www.itsgroup.com.br

03-cta2

Domênico Meneguzzi
Sem comentários.
Comente