Gestão à vista: 4 ferramentas para otimizar a gestão do agronegócio

O agronegócio foi completamente ressignificado nas últimas décadas, na esteira das novas tecnologias adaptadas ao setor. Apoiados em um modelo de desenvolvimento agrícola baseado na ciência, os grandes produtores perceberam que gerenciamento e planejamento de negócios deveriam ser inseridos na dinâmica do plantio, da colheita, do transporte, da criação e do abate, uma vez que as variáveis envolvidas no processo produtivo atual são imensamente mais numerosas do que as que delimitavam a produção em gerações passadas.

Embora seja trivial a necessidade de conduzir o agronegócio dentro de uma estrutura administrativa profissional e altamente digitalizada, dados da Sociedade Rural Brasileira apontam que a aplicação da tecnologia no campo ainda é baixa no Brasil (18% na agricultura empresarial, enquanto nos Estados Unidos e em países da Europa, esse percentual chega a 50%).

Percebendo esse gap, que invariavelmente costuma resultar em desperdícios, custos elevados e baixa produtividade, nossa equipe de especialistas decidiu mostrar abaixo como a fusão entre estratégias de gerenciamento (como a gestão à vista) e a tecnologia para o campo pode otimizar os resultados no ecossistema dos negócios ligados à agricultura e à pecuária de larga escala! Acompanhe!

Antes de tudo: você sabe o que é gestão à vista?

O objetivo deste artigo é mostrar que técnicas de gestão, já utilizadas de forma empírica no agronegócio de tempos passados, vêm sendo remodeladas com o advento de sistemas inteligentes de controle de dados, modificando por completo os resultados no setor. Mas, antes de aprofundar essas informações, vamos entender ao certo o que é gestão à vista.

Você já imaginou uma partida de futebol sem placar? Os torcedores assistem a dezenas de jogadores correndo de um lado para o outro, sem que isso tenha muito sentido; algumas vezes, a bola entra. Técnicos, arbitragem, atletas, ninguém sabe ao certo onde se quer chegar (e se já se chegou a algum lugar). Se não há referências, o que impera é o caos.

No agronegócio, se os seus tratoristas não sabem se suas roçadas e seu preparo do solo estão sendo eficientes; se o responsável pela aplicação do adubo não tem certeza se as medidas estão corretas; se o inseminadores artificias, criadores e tratadores desconhecem os resultados de seu trabalho (e sua relação com o negócio como um todo), vai ser difícil vencer o jogo da consolidação no mercado. É por isso que existe a gestão à vista.

Gestão à vista é uma estratégia de comunicação, motivação e gerenciamento de equipes. Tem por objetivo divulgar as informações do negócio a todos os colaboradores, de forma simples e de fácil assimilação, buscando estimular o engajamento dos trabalhadores e fazer com que eles se sintam “parte do negócio” (e, por consequência, responsáveis diretos pelo eventual sucesso da empresa). Esse estímulo comprovadamente resulta em maior satisfação no trabalho e aumento da produtividade.

CTA_ITs Group_Guia do gestor do agronegócio como evitar perdas e reduzir custos de produção_final

Quais são os benefícios da gestão à vista?

Os benefícios que esta estratégia de comunicação traz ao campo são diversos, tais como:

Investimento em um pensamento global

A atualização constante dos dados dá a cada agricultor, cortador, tratador ou operador de máquinas, por exemplo, uma visão mais global do sistema de negócio.

Quando se abandona o conhecimento fragmentado (daquele que só sabe sobre sua própria atividade, desconhecendo as interrelações a que ela está sujeita no dia a dia do campo) para dar lugar a um conhecimento sistêmico do plantio, colheita, transporte e comércio, bem como de todas as etapas da criação e abate do gado, cada profissional se torna mais autônomo, produz mais rapidamente e com maior qualidade.

Isso se dá porque ele finalmente pôde compreender a razão de seu ofício. Gestão à vista é fundamental neste aspecto.

Melhora no senso de justiça nas avaliações

Dar maior transparência ao alcance das metas de cada trabalhador e permitir que ele compare sua performance com a dos colegas facilita feedbacks, promoções ou avaliações de desempenho.

Disponibilização de indicadores técnicos

Indicadores técnicos, como a verificação de índices de preservação do solo e da água, as medidas de uso de fertilizantes, a lista de animais vacinados e o nível de consumo alimentar do gado, por exemplo, ajudam a corrigir desvios, adequar processos e evitar falhas nas operações.

Caso esse gerenciamento seja feito com o auxílio de soluções de gestão para agronegócio, todos os dados serão atualizados em tempo real, aumentando o tempo de resposta da equipe antes que prejuízos se consolidem.

Quais são os tipos de ferramenta para materializar a gestão à vista?

1. Relatórios fixados em murais

Os antigos produtores, que controlavam questões como peso e horário de alimentação dos animais afixando um documento na entrada dos currais estavam, inconscientemente, trabalhando com gestão à vista. Os relatórios em papel, fixados em murais, são um exemplo desse tipo de estratégia.

2. Tabelas e gráficos comparativos

Em um segundo momento, com a utilização de planilhas eletrônicas (como o Excel), passou-se a fazer uso — nas dependências administrativas das empresas rurais — de tabelas e gráficos para divulgar indicadores de desempenho.

Tratavam-se de métodos de reporting criados para dar maior noção do negócio aos gestores. Todavia, os demais trabalhadores costumavam permanecer alheios a tudo o que ocorria na empresa.

3. Kanban

Pouco utilizado no agronegócio, os Kanbans são cartões coloridos criados pelos gestores das indústrias japonesas para gerenciar tarefas e controlar a qualidade dos serviços prestados/produtos fabricados.

As novas tecnologias para o campo utilizam alguns conceitos dessa técnica, agregando, porém, uma imensa capacidade de coleta e de tratamento de dados.

4. Dashboards

Se você é empresário ou diretor de uma empresa do segmento de agronegócio, não deve de forma alguma abrir mão das atuais soluções de gestão para agronegócio, as quais mesclam gestão à vista com Inteligência Empresarial.

Um sistema como esse oferece rastreabilidade dos serviços executados, análise de cenários, dados da colheita, distribuição e logística de entrada e saída, planejamento e controle da cadeia animal, controle de contratos, entre muitos outros indicadores fundamentais para o sucesso do seu negócio.

Tudo acessível por meio de um smartphone ou tablet. O interessante neste caso é que o gestor pode dar acesso on-line de algumas informações à sua equipe (no limite estabelecido pela empresa), como metas de colheita ou controle de custos no mês.

Qual a importância de usar ferramentas para otimizar a gestão do agronegócio?

O estatístico William Edward Deming dizia que “não se gerencia o que não se mede; não se mede o que não se define; não se define o que não se entende; e não há sucesso no que não se controla.”

No agressivo setor agropecuário, de alta competitividade e fortemente dependente de fatores climáticos, gerenciar com precisão e em tempo real todo o oceano de variáveis que compõem o negócio constitui-se a linha tênue que separa os bem-sucedidos dos estagnados.

Indicadores de desempenho como nível de controle de pragas, instrumentos de previsão de geadas ou secas prolongadas, mensuração de resultados obtidos na adoção do Sistema de Plantio Direto — SPD, avaliação do estresse hídrico e monitoramento das emissões de carbono são apenas alguns dos referenciais imprescindíveis de ser monitorados neste setor.

Diante desse alto nível de controle gerado por esse tipo de tecnologia, recomenda-se fortemente contatar uma consultoria empresarial em software de gestão, que estará apta a avaliar as necessidades do seu negócio e auxiliar na implantação de sistemas que melhorem radicalmente seus resultados! Sucesso e até a próxima!

Paulo Ronchetti

CEO ITS

Sem comentários.
Comente