Gestão de negócios: novas metodologias inovadoras para fugir do quadrado

O mundo muda constantemente e isso também acontece em relação às empresas. O que acontece é que, se você cair na mesmice, tem grandes chances de ficar para trás e perder para a concorrência. Para evitar essa situação, deve investir em metodologias inovadoras na gestão de negócio.

A ideia é simplificar os processos e aumentar a produtividade sem elevar os custos. Isso gera vantagem competitiva e permite que a sua empresa atraia mais clientes e se destaque no segmento em que atua.

Nós temos certeza de que é isso que você busca. Por isso, criamos este post. Aqui, vamos mostrar as novas metodologias que estão sendo implantadas no gerenciamento das empresas e também abordaremos a importância do alinhamento com o planejamento estratégico, como usar ferramentas para gerir seu negócio e quais são as tendências.

Quer ter acesso a todo esse conhecimento? Então, continue lendo e aproveite as dicas que vamos dar!

1. Como as novas metodologias inovadoras afetam a gestão de negócio

Para começar, vamos mostrar como as metodologias inovadoras impactam a gestão da sua empresa.

Um exemplo mais recente é a computação em nuvem, tecnologia que trouxe mais mobilidade aos gestores e permitiu que os negócios fossem simplificados. A partir dessa ferramenta, a tomada de decisão passou a ser mais rápida e acertada, porque os dados podiam ser conferidos a qualquer momento e de qualquer lugar, desde que se tivesse acesso à internet.

Em outras palavras, podemos dizer que a tecnologia ajuda as empresas a ter processos mais inteligentes e eficazes, sem que isso exija o gasto de muito tempo e dinheiro.

Essa questão é especialmente importante para o Brasil, já que este é o país mais empreendedor do mundo, segundo o Global Entrepreneurship Monitor (GEM). O relatório indicou que há mais de 5,7 milhões de empreendedores individuais, situação impulsionada pela crise econômica, que fez com que muita gente apostasse na abertura de novos negócios.

Não importa se você é um empreendedor ou gestor; o fato é que, diante da grande concorrência, sua empresa precisa ter uma gestão eficiente aliada à tecnologia. Mas esse assunto é muitas vezes deixado de lado.

Nesse momento, precisamos discutir o que seria a inovação. É senso comum pensar que ela significa apenas a implantação de novos métodos, que nunca foram utilizados. No entanto, também pode indicar a adoção de novas maneiras de executar as mesmas atividades, o que agrega valor ao negócio e aumenta a competitividade devido à otimização da produtividade e redução de custos, como exemplo sito a solução de força de vendas mobile que entrega na mão do representante de venda, no momento da venda, todas as informações, financeiras, contato, políticas comerciais, etc., de seus clientes de forma on-Line e off-line.

Essa explicação justifica o motivo pelo qual você deve apostar nas metodologias inovadoras. Porém, também é necessário adotar modificações que sejam visíveis para os consumidores, porque isso é determinante no sucesso e na longevidade do negócio.

A dica, então, é se atentar a práticas que a sua empresa possui e que podem ser melhoradas. Confira algumas dicas:

1.1 Atente-se às necessidades do cliente

Sem o cliente, a empresa não existe. A tecnologia está aí para ajudar a fortalecer esse relacionamento por meio do conhecimento das necessidades e demandas dos consumidores.

Um exemplo de software que pode ser usado é o CRM (Customer Relationship Management, ou gestão do relacionamento com o cliente). Com esse sistema, você consegue anotar todos os pedidos do consumidor e verificar as compras já realizadas, o que permite fornecer um atendimento especializado e personalizado.

Por exemplo: você consegue avisar o cliente sobre o desconto em determinado produto que é comprado com frequência ou sobre o lançamento de um serviço que pode fazer a diferença na vida dele.

1.2 Vá além do óbvio

Empreender requer atenção às inovações e tendências, e observar não só o mercado em que se atua, mas também o que se passa ao redor.

Aguardar que as tendências se tornem realidade para então remodelar o negócio não é uma atitude recomendada. Quando você faz isso, coloca sua empresa em risco e pode até mesmo fazer com que ela perca espaço diante das transformações, que ocorrem cada vez mais rapidamente.

Fique sempre atento para o modo como o mundo e o mercado estão se movimentando e analise os impactos que essas transformações podem causar na sua empresa em curto, médio e longo prazos.

1.3 Informatize-se e integre os dados

Atualmente, é impossível pensar em uma empresa que não esteja informatizada e cujos dados não sejam integrados. Esse é um erro que pode ser fatal.

Mesmo assim, existem diversas organizações que não estão totalmente informatizadas ou que não conseguem integrar seus dados de forma correta. Pode apostar que isso causa problemas para gerir o negócio e ineficiência dos processos.

Aproveite e invista em sistemas de gestão integrada, como os SAPs. Eles concentram os dados de todos os departamentos, incluindo o histórico de compras e vendas, o cadastro de clientes, o tempo médio das entregas etc.

Assim, você tem acesso a dados atualizados constantemente e consegue tomar decisões melhores para o negócio.

1.4 Controle os resultados e o alcance das metas

Esse é outro item que depende diretamente da tecnologia e da integração dos dados. Essa é uma atitude necessária, porque dessa forma é possível controlar o rendimento da empresa e definir metas.

Esse monitoramento também permite que os gestores analisem de forma aprofundada a performance da empresa e verifiquem o que precisa ser ajustado e o que já está bom.

1.5 Faça o mapeamento da concorrência

Você deve aproveitar a tecnologia para descobrir o máximo de informações que puder. Mapear a concorrência é uma dessas ações, que oferece ainda a possibilidade de compreender melhor como funciona o fluxo de clientes e, de quebra, aumentar seu faturamento.

Aproveite e faça comparações entre as práticas adotadas na sua empresa e nos concorrentes. Essa análise pode apresentar novos processos e ideias e indicar o que não deve ser feito.

1.6 Ouça o cliente

A tecnologia também ajuda nas novas maneiras de entrar em contato com o cliente e saber o que ele deseja e espera. Agora ficou muito mais fácil fazer pesquisas de satisfação e qualidade, abrindo oportunidades para os consumidores repassarem um feedback.

Essa prática deve ser adotada agora mesmo porque é uma das maneiras mais eficazes de saber o que o consumidor espera a fim de adotar novas metodologias no dia a dia do seu negócio.

1.7 Mantenha-se focado

Quando você está trabalhando, acaba tendo uma série de distrações e empecilhos que podem prejudicar o seu foco. No micronível, as distrações podem ser ligações, e-mails, reuniões, redes sociais etc. Já no macronível, há empecilhos ocasionados pela economia, atividade da concorrência, política ambiental, entre outros.

Mesmo que isso ocorra, você deve se manter focado. Lembre-se sempre da visão do negócio e agarre-se ao que é tangível para permanecer concentrado naquilo que é realmente importante.

Agora que você já viu o que é importante para gerir o negócio e como as novas metodologias inovadoras impactam esse processo, precisamos entender o papel do planejamento estratégico.

2. A importância do alinhamento com o planejamento estratégico

Para saber por que a gestão da sua empresa precisa estar alinhada ao planejamento estratégico, precisamos ver primeiro o que esse conceito significa. Basicamente, ele trata da atitude de planejar e pensar os atos de forma estratégica.

Na prática, ele ajuda a definir os objetivos que devem ser atingidos pela organização e as estratégias que serão utilizadas para chegar lá. Para conseguir isso, é preciso usar os recursos de forma eficiente e elevar a produtividade.

Como você pode perceber, fica bem evidente a relação das novas metodologias com o planejamento estratégico, já que ambos pretendem trazer mais eficiência sem que isso signifique mais custos.

A diferença do planejamento estratégico é que ele serve como um plano de ações, um guia para os processos e o relacionamento com os clientes. Essa também é a primeira etapa para que os objetivos organizacionais sejam alcançados.

A partir disso, você precisa definir um plano de ação. Ele é uma ferramenta utilizada para o acompanhamento de todas as atividades, desde projetos pequenos até atas de reuniões complexas.

O plano de ação traz todas as ações que devem ser executadas para que o resultado esperado seja atingido. Seus elementos principais são:

  • Lista de atividades e ações;
  • Data para iniciar cada atividade;
  • Orçamento de cada atividade;
  • Responsáveis de cada ação;
  • Objetivos que devem ser alcançados com cada atividade;
  • Riscos de falhas durante a execução e apresentação de um plano de contingência.

Para garantir que tudo será realizado, você pode adotar a ferramenta 5W2H, que é uma espécie de checklist. Com ele, você deve responder às seguintes perguntas:

  • What: quais etapas devem ser executadas;
  • Why: a justificativa do que será feito;
  • Where: o local em que as ações serão realizadas;
  • When: quando as ações serão colocadas em prática;
  • Who: quem será responsável pelas execuções;
  • How: qual método será empregado;
  • How much: quando vai custar.

Além da elaboração, o plano de ação e o planejamento estratégico devem ser acompanhados e monitorados. Sempre que necessário, é preciso ajustar as falhas e erros que ocorrem ao longo do processo.

E é claro que, novamente, a tecnologia faz toda a diferença, porque a gestão integrada facilita muito a verificação dos resultados e o acompanhamento deles. Mas existem outras ferramentas de gestão que vale a pena adotar. Vamos falar mais sobre elas a seguir.

3. A utilização de ferramentas de gestão de negócios

Fazer a gestão de um negócio requer uma estratégia, como falamos anteriormente. E isso só pode ser colocado em prática com a ajuda de ferramentas específicas.

Existem diversos recursos que podem ser adotados. Confira alguns deles:

3.1 Estratégias de negócio

Quando você vai formular as estratégias de negócio da sua empresa, precisa conhecer seu próprio negócio, o mercado de atuação e a concorrência. Verifique qual é sua vantagem competitiva, se possui poder de mercado, se novos concorrentes ou produtos podem entrar no segmento e o nível de rivalidade entre as empresas que competem entre si.

Você também deve identificar se os produtos ou serviços que a empresa possui são suficientes para atrair o público ou se será necessário expandir e desenvolver novos.

3.2 Demonstrativos financeiros

Toda empresa precisa trabalhar com demonstrativos financeiros confiáveis. Afinal de contas, a informação é fundamental para a tomada de decisão no mundo corporativo.

Você deve ter sempre à mão relatórios financeiros e contábeis e balanços. É importante que eles estejam sempre corretos e atualizados.

Vale a pena lembrar que alguns demonstrativos financeiros são obrigatórios por lei, mas você deve adotá-los no seu dia a dia, porque não conseguir avaliar indicadores financeiros nem definir metas para a lucratividade e o crescimento gera dificuldades para a sobrevivência da organização em médio ou longo prazo.

3.3 Metas e indicadores

É imprescindível que as empresas trabalhem com indicadores de desempenho e metas, porque é isso que vai facilitar o acompanhamento de como o negócio se desenvolve.

Algumas metas e indicadores são produtividade dos colaboradores, crescimento da receita, prazo médio de pagamento, prazo médio de recebimento etc.

3.4 Plano de negócios

Essa ferramenta de gestão é obrigatória para qualquer empreendedor que queira abrir um negócio ou expandi-lo. O plano de negócios indica se a ideia é viável e oferece mais segurança ao empreendedor e ao gestor.

Esse instrumento ajuda a traçar um panorama do mercado, das atitudes do empreendedor ou gestor e do produto. O resultado é a diminuição das incertezas por meio dos passos que devem ser seguidos.

Assim, ele serve como guia para buscar informações detalhadas sobre fornecedores, clientes, concorrentes, serviços ou produtos e pontos fortes e fracos da empresa.

3.5 Análise SWOT

Essa é uma ferramenta ainda pouco utilizada e, por isso, pode representar uma metodologia inovadora para o seu negócio. Sua finalidade é fazer uma análise da empresa de maneira bem objetiva.

SWOT é a sigla de strengths (forças), weaknesses (fraquezas), opportunities (oportunidades) e threats (ameaças).

As forças são as vantagens que sua empresa tem se comparada à concorrência. As fraquezas são aptidões que impactam negativamente o negócio (como mão de obra não capacitada e problemas de engajamento).

As ameaças são forças externas que interferem no negócio. Elas podem atrapalhar o planejamento estratégico e até mesmo os resultados. E as oportunidades são forças externas que ajudam o negócio. Não se pode controlá-las, mas é possível prevê-las. Alguns exemplos são mudanças na política econômica, nos tributos, na melhoria do crédito ao consumidor etc.

Depois de verificar essas ferramentas, chegamos à última parte, que é sobre as tendências inovadoras. Aí é só ver o que se encaixa no seu negócio e implementar! Vamos lá?

4. Tendências inovadoras para gestão de negócios

Num mundo cada vez mais tecnológico, as tendências inovadoras surgem a todo instante. Por isso, é difícil acompanhar as principais e saber o que de fato vai fazer a diferença na sua empresa.

Para simplificar o processo, estamos trazendo a seguir as principais tendências. Confira quais são elas:

4.1 Cloud computing

Citamos a computação em nuvem (cloud computing) como um exemplo no início deste post. E ela continua sendo uma tendência. Esse modelo de computação disponibiliza as capacidades elásticas e escaláveis da TI como um serviço.

Ou seja, o cloud computing vem sendo reformulado, deixando de ser somente provedores de serviços de infraestrutura para se tornar verdadeiras plataformas que sustentam aplicações de negócios.

Como resultado, a adoção dessa tecnologia reduz custos, traz mais dados para a tomada de decisão e permite implantar uma estratégia mais adequada à realidade do negócio.

Além disso, o serviço fica mais flexível, há possibilidade de escalabilidade e o desempenho aumenta.

4.2 Segurança da informação

A segurança na transmissão e armazenamento de dados e informações é imperativo nos dias de hoje, especialmente porque os clientes querem ter certeza de que seus dados estão bem guardados.

De acordo com o Internet Security Threat Report de 2016, da Symantec, o Brasil é um dos 10 países que mais propaga malwares em todo o mundo. As infecções ocorrem principalmente por compartilhamento manual (71,6%).

Mas como os brasileiros estão começando a se acostumar com essa estratégia, o foco agora está nos ataques por ransomware, malwares que fazem a criptografia dos dados. Para as empresas, isso é bem preocupante, porque, em questão de segundos, nenhum relatório e dado pode ser acessado.

As tendências de segurança passam principalmente pela centralização e automação de processos, o que reduz a necessidade de digitação ou preenchimento de formulário manuais, situações que podem ocasionar falhas humanas.

4.3 Tecnologias cognitivas

Esse tipo de sistema usa a linguagem natural e o aprendizado da máquina para que equipamentos e pessoas consigam interagir de forma mais natural e sinérgica. Assim, as máquinas oferecem assistência especializada para as ações humanas em determinado período de tempo.

Essas tecnologias também são importantes devido ao grande número de dados não estruturados, que deve crescer nos próximos anos. Com essa tendência, a capacidade de compreender esses dados fica mais difícil e o processamento da linguagem natural pode facilitar a chamada computação cognitiva.

Adotar esses sistemas melhora a eficiência e reduz a quantidade de fraudes e falhas, além de aumentar a escalabilidade.

4.4 Big data

Novamente a tendência está relacionada às informações. No caso do big data, são dados gerados em ambientes digitais ou que estão integrados a eles e podem ser analisados, parametrizados e usados para a verificação de informações estratégicas e relevantes.

Essa ferramenta serve como um suporte à tomada de decisão e vem se tornando uma peça-chave para o sucesso das empresas.

O big data ainda combina volume, velocidade, veracidade, variedade e valor dos dados para que a análise seja feita de forma adequada e sirva para que o empreendedor e o gestor tenham maior poder de estratégia e decisão.

4.5 Comunicação visual

Apesar de o texto ainda ter força e de o marketing de conteúdo ser importante, a comunicação visual é uma tendência que ganha espaço em relação à comunicação com o cliente.

Esse cenário é reforçado porque há diversas marcas tentando se destacar e a imagem acaba chamando mais a atenção em um primeiro momento. Segundo estudos, o estímulo visual atinge o cérebro até 60 mil vezes mais rapidamente que o textual.

4.6 Cultura da agilidade

As empresas estão procurando reduzir os processos de produção e ter um controle melhor sobre as atividades que são executadas. Existem softwares que podem auxiliar nesse processo e permitem que a produção permaneça ágil, organizada e simples.

Uma dica para entrar na cultura da agilidade é separar os colaboradores em times pequenos, que possuam uma organização própria e mantenham-se focados. Nesse caso, é possível mensurar os resultados com mais facilidade.

4.7 Integração entre tempo pessoal e profissional

As ferramentas que são utilizadas para lazer nos dias de hoje também são adotadas no ambiente de trabalho. Alguns exemplos simples e bastante comuns são a internet, os smartphones e tablets etc.

Esse novo cenário mistura ainda mais o tempo entre a vida pessoal e as atividades profissionais. Isso deve ser ampliado com o aumento do home office. Nesse caso, se há a vantagem de não ficar preso a um escritório, há a desvantagem de estar disponível 24 horas por dia. E essa é a tendência, gostemos ou não.

4.8 Automação da coleta de dados

A expectativa é que a coleta de dados seja automatizada em breve. Isso significa que as empresas devem implantar esse tipo de sistema a fim de identificar oportunidades e ameaças de maneira rápida e proativa.

Neste campo a mobilidade tem se mostrado como o grande vetor da era da Transformação Digital, pela facilidade de operação de modo intuitivo, com uma diversidade de soluções disponíveis e de rápida absorção.

Os dados devem ficar integrados a sistemas de informação ou a ferramentas de automação para que a coleta seja agilizada.

Ao mesmo tempo, a análise da informação também vem sendo automatizada. Isso impacta diretamente a gestão da empresa, porque fornece subsídios para a tomada de decisão e permite descobrir alternativas e soluções para os problemas.

Terminando de ver as principais tendências de metodologias inovadoras, você consegue identificar que a gestão empresarial requer o uso da tecnologia e ainda exige que você repense alguns hábitos e modos de produção.

Mas o resultado vale a pena. Afinal de contas, em médio e longo prazos você vai ver os resultados positivos e ainda perceberá que houve a redução dos gastos e o aumento da produtividade.

Quer coisa melhor? Então aproveite os conhecimentos que demos sobre gestão de negócio e aumente ainda mais seu conhecimento.

Marcos Bernardes
Sem comentários.
Comente