Gestão de estoques: 8 dicas para aumentar a eficiência do negócio

Em uma empresa, o estoque é a base que garante o andamento e a manutenção de toda a cadeia produtiva. Seja utilizado para a armazenagem de produtos internos ou mercadorias para comercialização, é essencial que sua estrutura esteja apoiada em boas práticas de gestão. Nessa condição, cabe ao gestor a responsabilidade de planejar esse espaço para assegurar a existência de recursos e prevenir perdas futuras.

Entenda abaixo a importância da gestão de estoques e acompanhe 8 dicas para aumentar a eficiência do negócio!

O papel da gestão de estoques na eficiência do negócio

Independentemente do porte e do segmento, toda empresa precisa investir no bom gerenciamento de seu estoque. Isso porque, mais do que um espaço físico de armazenagem, este é também o setor que comporta parte do investimento do negócio.

Aos que prezam pela eficiência nos trabalhos, adotar ferramentas e novas tecnologias nas práticas de gestão se tornou fundamental. Com controle adequado dos produtos em movimentação, a empresa garante o conhecimento necessário de cada detalhe da sua área de estocagem.

O resultado desse cuidado vem na forma de maior produtividade, satisfação do cliente, saúde financeira e diminuição de perdas e seus prejuízos.

8 dicas para uma gestão mais eficiente

Atualmente, um processo de estocagem pode ser baseado em diversas estratégias e metodologias. Ainda que sejam distintas entre si, muitas delas procuram aliar práticas de gestão com o uso de ferramentas de controle bastante específicas. Com base nisso, selecionamos 8 dicas valiosas para tornar sua gestão de estoques mais precisa:

1. Atualize dados diariamente

Uma gestão de estoque demanda atualização constante de dados. Ainda assim, muitos profissionais não fazem o registro da movimentação de produtos no momento adequado e, dessa forma, deixam informações valiosas de lado. Além de comprometer a consulta do estoque, essa atitude contribui para o aumento dos índices de extravio no local.

Evite a desordem com um controle de entrada e saída contínuo e diário. Essa é a única forma de garantir uma avaliação completa do fluxo do estoque e com base em dados reais. Como ferramenta de registro, você aproveita tanto a tecnologia das planilhas tradicionais quanto dos softwares específicos para gestão.

2. Categorize os produtos

Depois de cadastrar os produtos que fazem parte do seu estoque, é essencial que você os categorize em grupos. Estes serão formados de acordo com a relevância que cada produto tem para a empresa, ou seja, dos mais valorizados para os de menor impacto nas operações. Algumas empresas se baseiam em um método semelhante de classificação, que ficou conhecido como curva ABC.

Para colocá-lo em prática, as categorias devem aparecer da seguinte forma:

  • A = itens de maior importância, quantidade ou valor;
  • B = itens de importância, quantidade ou valor intermediário;
  • C = itens de menor importância, quantidade ou valor.

Com os grupos formados, fica mais fácil avaliar diferentes categorias separadamente, verificando se elas obtiveram os resultados esperados para determinado período. Além disso, é possível identificar os produtos com maior margem de lucratividade e, dessa forma, dedicar os esforços na produção/venda desse conjunto.

3. Mantenha um inventário

Com o registro de entrada e saída em mãos, faça um inventário dos produtos mantidos no estoque da empresa. Esse documento é valioso para confirmar se as informações obtidas no controle da armazenagem estão de acordo com o volume presente na empresa. Nessa etapa, os estoquistas selecionados devem contabilizar cada produto para avaliá-los em um período específico, que será determinado pelo gestor.

Acompanhando os detalhes do inventário, você define a quantidade exata de produtos a serem adquiridos com o fornecedor e previne perdas de volumes estacionados. Além disso, compreende melhor a média de consumo de cada categoria do estoque para garantir que nenhuma falte na empresa.

4. Aprimore o layout

Em um ambiente de estocagem, manter um fluxo harmônico de trabalhos exige o planejamento adequado de cada área. Em um local de grande movimentação, a presença de pequenas barreiras e corredores mal posicionados pode ser suficiente para comprometer o ritmo de trabalho das equipes.

Se o desejo é aumentar a produtividade, monte um projeto que valorize cada centímetro da sala de estocagem. Para um layout que não está legal, a solução é modificar a distribuição dos produtos até encontrar uma composição equilibrada. Não tenha medo de testar diferentes possibilidades, contanto que as áreas próximas do acessos — entradas e saídas — fiquem sempre reservadas aos produtos de maior consumo.

5. Recicle o estoque

Se o seu inventário indica que determinados produtos estacionam com frequência, é hora de repensar o destino deles. Ao manter volumes obsoletos, a empresa acaba desperdiçando espaço físico que seria útil para a armazenagem de outros modelos de produtos.

Nessas situações, a melhor saída é criar promoções, fazer doações ou, dependendo do material, até enviar para reciclagem. Em um primeiro momento, pode ser difícil abrir mão de itens que já geraram bons resultados. No entanto, uma limpeza geral em certos períodos sempre será positiva para manter a organização do estoque.

6. Prepare as equipes

Em algumas empresas, é comum ver profissionais trabalhando em diferentes funções ao mesmo tempo. Embora isso ajude em alguns momentos de correria, é fundamental que o gestor limite a atuação de cada membro em atividades específicas.

Para o setor de estocagem, delegue os trabalhos de controle de produtos a pessoas de confiança. Se for preciso, invista no treinamento das equipes para que simples decisões sejam tomadas de forma rápida e eficiente. Se a empresa possui um estoque muito grande, a dica é organizá-lo em pequenos zoneamentos que serão administrados separadamente por cada funcionário.

7. Automatize os processos

Tradicionalmente, um trabalho de gestão de estoques exige a execução de diversas atividades manuais. Visando agilizar esses processos, muitas empresas já buscam na tecnologia o apoio necessário para economizar tempo e esforço das equipes.

Seguindo esse exemplo, você pode adotar um sistema de gestão para automatizar inúmeras atividades de controle e de organização do estoque. Hoje, já existem modelos de software que se integram a outros setores da empresa, o que garante a atualização necessária para potencializar trabalhos internos.

8. Contrate uma consultoria

Hoje, tanto startups quanto organizações já consolidadas podem se beneficiar do serviço de empresas de consultoria para negócios. Com acompanhamento de profissionais capacitados e experientes, fica mais fácil identificar possíveis problemas e deficiências que comprometem a sua atual gestão.

Além da assessoria para busca de soluções, muitas dessas empresas também fornecem recursos em forma de tecnologias para otimizar os trabalhos na empresa. Se tiver interessado, entre em contato com representantes para escolher a equipe que vai orientá-lo na busca de uma gestão de estoques eficiente.

E você? Conhece outra dica valiosa para aplicar no trabalho de gestão? Conta pra gente nos comentários.

Rafael Castilhos
Sem comentários.
Comente