Geração Z: sua empresa está preparada para ela?

Escrever com uma caneta, não, o melhor é digitar. Fazer contato com alguém distante por ligação telefônica, não, o melhor é por Whatsapp ou Skype. Ler conteúdo em apostilas impressas? Isso já é passado, a tendência é PDF baixado da web ou vídeos tutoriais. A geração nascida nos anos 1980 e início da década de 1990 tem disso. Afinal, ela cresceu ao lado da tecnologia e representa hoje a maior parte da força de trabalho. E mais, já atingiu em alguns casos o status de liderança e é protagonista da fusão entre o analógico e o digital na vida diária e nas empresas. Você já deve ter ouvido falar exaustivamente nela: a geração Y ou Millennials.

A geração Z, do agora e do zapear

Agora, imagine um pessoal mais jovem que está chegando no mercado de consumo e de trabalho e que é mais avançado ainda? Estou falando da geração Z, nascida a partir da metade dos anos 1990, nativa digital e que não compreende o mundo fora da tecnologia. Só para dar um exemplo da dimensão disso, um estudo realizado pela empresa norte-americana Robert Half em parceria com a Enactus indica que em 2020, ou seja, daqui a três anos, a geração Z representará 20% da força de trabalho mundial.

Estratégias para gestão de pessoas

Todos nós conhecemos algumas das características identificadas na geração Z: interatividade, inquietação, multitarefa, maior rotatividade no trabalho, etc. Mas como se adaptar a isso? Os vários consultores e especialistas no assunto têm batido insistentemente na tecla de que o mais importante é reduzir ao máximo os possíveis conflitos entre os profissionais de diferentes idades. É só lembrar que, dependendo da empresa, há várias gerações trabalhando num mesmo ambiente, desde os baby boomers (nascidos após a 2ª Guerra Mundial) até a Z.

Um caminho sem volta, dizem. E estão certos. Adaptar-se, antecipar-se a essa bola de neve é estruturar a gestão com base na tecnologia e possibilitar o acesso fácil desses colaboradores, permitindo a eles interagirem e aprenderem mais sobre a empresa e seu negócio. Veja só: de acordo com a Consultoria Bersin & Associates, as instituições que contam com estratégias de RH integradas ao negócio têm 40% menos rotatividade e o dobro de produtividade por colaborador.

Com tecnologia e relacionamento, uma área de Gestão de Pessoas inovadora direciona políticas e atividades que deem a ideia para os jovens de que a empresa se interessa pela qualidade de vida deles. Se não for assim, será difícil reter esses talentos como colaboradores. O recado está dado desde já. Eles não se submetem a condições de trabalho que não os satisfaçam, querem flexibilidade, desejam mensurar o valor do próprio aprendizado e construir perspectivas para o seu futuro profissional.

Sistema integrado de gestão de pessoas

É preciso se dar conta de que sistemas integrados não servem somente para automatizar processos e aumentar a eficiência produtiva, mas também para unir e engajar as pessoas. Uma ferramenta de RH pode combinar desempenho, aprendizagem e desenvolvimento na carreira para beneficiar colaboradores. Pense só: e-learning, plano de carreira, acesso fácil a arquivos de gestão e até uma rede social corporativa. Uma solução que a SAP apresenta ao mercado para este fim é a SuccessFactors. Para se ter uma ideia da força desta ferramenta, seus clientes são compostos por empresas de todos os tamanhos em diversos segmentos. Hoje são mais de 3.500 clientes e 20 milhões de usuários em todo o mundo.

A ITS Group, representante SAP, pode viabilizar a implantação de um sistema como este na sua empresa. Com sua expertise, a ITS Group ajuda a gerar vantagem competitiva, otimizando a retenção de talentos e a satisfação geral da força de trabalho, fazendo da produtividade uma diferença.

Ageu Duarte
Sem comentários.
Comente