Commodities agrícolas: como ter uma gestão mais eficiente?

Você, que trabalha no ramo do agronegócio, como lida com as commodities agrícolas? Já pensou em formas de gerenciamento mais eficientes?

O termo commodities vem do inglês e significa mercadorias. As commodities agrícolas (como soja e suco de laranja congelado, por exemplo) são produzidas em larga escala, comercializadas em nível mundial e possuem características específicas, que as unem.

Geralmente, elas são estocadas por um certo período temporal sem que se perca em qualidade. As commodities agrícolas se caracterizam, ainda, por não ter sofrido qualquer intervenção ou processo industrial, ou seja, são as chamadas matérias-primas — elementos que servem como material para gerar outros tipos de produto.

Como o gestor agrícola pode ter controle mais eficiente

Manter sob controle todos os detalhes da cadeia produtiva do seu negócio agrícola é missão de qualquer administrador de negócios agrícolas que vise sucesso em sua carreira. O foco de administrar um empreendimento desse segmento é melhorar resultados, garantindo o sucesso de todo o processo produtivo e maiores vendas.

Como consequência de tal controle, fica mais fácil encontrar novas chances de negócio, até porque a marca terá atingido reconhecimento e respeitabilidade no mercado. Com a imagem mais favorável as transações comerciais se tornam mais interessantes e vantajosas para controladores de um negócio.

Uso de software para commodities agrícolas

Com o uso de um software de controle para o agronegócio você consegue ter informações completas de todas as fases da cadeia de produção. Com isso é possível entender detalhadamente quais são os passos que podem ser melhorados, quais as fases da cadeia que estão causando prejuízo e quais são aquelas etapas nas quais vale mais a pena investir, pois podem significar um ganho de resultados para a empresa, como um todo.

Afinal, de modo geral, se algo não estiver correspondendo à expectativa em um dos passos da cadeia, você saberá exatamente em qual ponto agir e quais soluções aplicar. Isso garante rapidez na transformação e adaptação do processo e, sobretudo, consegue evitar perdas maiores e mais significativas.

O uso de software de controle para o agronegócio permite que você tenha:

  • Uma noção real do próprio lucro e de possibilidade de perdas e prejuízos;
  • A possibilidade de prever resultados negativos;
  • A chance de analisar antecipadamente grandes demandas e seus prazos respectivos;
  • A oportunidade de planejar o uso racional de matérias-primas e meios de produção.

Por meio do controle completo de estoque rural você aprende a observar e a aproveitar, da melhor forma, os momentos propícios para investimento e para contenção de despesas, sempre de maneira mais segura. É possível também, para a gestão do negócio, acompanhar a produtividade do seu equipamento e, com isso, antecipar o período das manutenções preventivas, além de identificar o melhor momento para o investimento em novos itens de maquinário.

Com um processo mais estruturalmente planejado e objetivo, fica mais fácil realocar a produção, garantindo assim que não ocorram perdas significativas na produtividade do seu negócio. Esse tipo de gestão mais consciente e global é importante, tanto para evitar prejuízos na reforma de máquinas, quanto para impedir que a produtividade seja colocada em risco, o que, como estamos apresentando, pode representar um grande problema para toda a estrutura da empresa.

Com todo esse acompanhamento, você poderá otimizar o gerenciamento do inventário de maneira muito mais clara, com resultados incrivelmente superiores. Você será capaz de driblar, inclusive, efeitos de crises econômicas, de sazonalidade de mercado e outros pontos que afetam qualquer negócio em um mercado dinâmico.

Certamente, com isso, as empresas da agroindústria terão domínio de todas as relações na cadeia de suprimento de matéria-prima e de todas as fases do processo, possibilitando:

  • Identificar vetores de fornecimento de grãos;
  • Gerenciamento e controle de volume, da qualidade e do preço;
  • Controle absoluto de prazos de entrega e eventuais adiantamentos;
  • Acompanhamento do processo de liquidação final do contrato – o que pode se referir tanto a uma quanto a mais safras, para uma melhor visão de todo o potencial de receita do negócio, não só imediato, como em curto e médio prazos.

E você? O que acha desse tema? Como lida com o gerenciamento de commodities agrícolas? Conte aqui na área de comentários, logo abaixo e baixe o e-book.

Marcia Candiago
Sem comentários.
Comente