Cadeia de suprimentos: 7 dicas para otimizar os processos

A gestão da cadeia de suprimentos ou supply chain management é fundamental dentro de um negócio. Ela garante não apenas o abastecimento de matérias-primas e de produtos mas também tem impacto direto na experiência do cliente. Quanto melhor ela for gerenciada, menor o custo de gestão e mais positiva é a percepção do consumidor em relação ao negócio.

Embora pareça complexa, a otimização dessa estrutura é possível com a aplicação de algumas dicas que influenciam positivamente os resultados para o negócio. Continue lendo e veja a seguir 7 dicas para realizar essa melhoria de processos:

Aumente o controle da linha de produção

A linha de produção impacta diretamente a cadeia de suprimentos por ser um dos primeiros e principais elos. Sendo assim, é importante aumentar o controle na linha de produção, e isso começa, principalmente, com o mapeamento de processos.

Ao entender como a sua produção acontece, é mais fácil definir quais tarefas podem ser otimizadas e quais devem ser eliminadas.

Também é necessário ficar de olho na questão dos níveis produtivos. Uma linha de produção que esteja sofrendo com o desperdício, por exemplo, vai impactar negativamente o estoque e deve ser otimizada o quanto antes.

A partir desse controle é mais fácil prever a necessidade de compras de abastecimento e também de itens que deverão ser armazenados. Quando falamos em gestão e controle da produção, muitos profissionais entendem de que deve haver uma gestão por intermédio de sistemas complexos que permitam direcionar gestores para suporte a tomada de decisões mais assertivas. Obviamente que esse seria o padrão ideal, porém o mais importante é ter algum controle, mesmo que seja mínimo. Realizar o controle do planejado para produção com o realizado, indicando causas pela “quebra” do plano, pode ser considerado como um modelo simples de controle, porém fornece uma base estatística para melhor análise de resultados.

Ajuste o controle de estoque

Por falar em estoque, ele é também um elemento fundamental para a cadeia de suprimentos. Com nível baixo, fica muito pequeno, gera desabastecimento e perda de oportunidades. Se for muito grande, gera mais custos do que o desejável.

Sendo assim, é importante levar em conta, por exemplo, a previsão de demandas. Dessa maneira, é possível garantir uma gestão de compras e de produção adequada à demanda, de modo a permitir o dimensionamento adequado de estoque.

Também é necessário pensar em questões como controle de entrada e de saída de itens e a realização de inventários para acompanhamento dinâmico desse elemento. O objetivo é evitar desvios ou perdas.

Melhore a previsão de demandas

Considerando que a previsão de demandas é especialmente importante para o estoque e para a linha de produção, ela deve ser o mais assertiva possível. Mesmo que não seja possível prever com total certeza o comportamento do mercado consumidor, há formas de diminuir a margem de erro.

Observar indicadores e notícias de mercado, por exemplo, é uma das formas de melhorar a previsão de demandas. Um produtor rural deve ficar de olho nesse tipo de informação para identificar qual será a possível demanda por seu produto.

Também é relevante considerar dados passados do negócio e, se possível, utilizar a tecnologia para fazer uma previsão mais assertiva. Uma preocupação maior nesse sentido vai garantir que o negócio tenha mais previsibilidade de ação, o que ajuda a cadeia de suprimentos.

Mantenha atenção sobre os fornecedores

A cadeia de suprimentos também depende dos fornecedores. Se não houver matéria-prima, não há produção, estoque nem venda. Com isso, conhecer o relacionamento de fornecimento é uma forma de otimizar processos.

Em primeiro lugar, esse tipo de análise torna possível identificar possíveis dependências do negócio. Se a maior parte das matérias-primas é comprada de um único fornecedor, isso pode trazer problemas para o negócio caso algo aconteça com a empresa que oferece os materiais.

Além disso, essa análise permite identificar a situação de contratos, o que colabora para a negociação de condições mais favoráveis para ambos os lados. Assim, dá para garantir o abastecimento de matérias-primas sem precisar gastar demais e sem ser muito dependente. Tem se tornado muito corrente um modelo padronizado de avaliação de fornecedores, não somente análise crítica de entregas, mas um plano de auditoria realizado em determinado período que busque avaliar, entre diferentes questões, a saúde financeira da empresa. Qualquer risco de desabastecimento deve ser acompanhado e medido.

Cuide da entrega do produto

Depois que o item estiver produzido e armazenado em estoque, o elo final da cadeia logística diz respeito à entrega do produto. É fundamental que ele chegue de maneira íntegra ao cliente e que também o faça no menor tempo possível.

Sendo assim, é necessário planejar todo o processo de entrega. Isso começa com a escolha do modal de transporte mais adequado e passa por questões como planejamento de rotas, definição de prazos e monitoramento de entrega.

De uma forma geral, isso colabora não apenas para a satisfação de quem consome mas também para a economia de gastos do negócio. Falhar na entrega pode comprometer toda a cadeia, já que pode levar a casos como de logística reversa (retrabalho).

Padronize processos

Em geral, a cadeia de suprimentos varia de negócio para negócio e, muitas vezes, também de acordo com a situação. Porém, mesmo diante disso, é possível padronizar processos para melhorar sua eficiência, controle e obtenção de resultados.

Ao definir processos para a entrada e saída de estoque e de registro da linha de produção, por exemplo, é possível ter mais visibilidade sobre a cadeia. Além disso, a padronização torna os processos mais escaláveis, mais produtivos e menos onerosos.

Embora não seja possível definir a padronização completa da cadeia, vale a pena encontrar processos que possam ser feitos de maneira preestabelecida, o que vai otimizar a atuação do negócio. Você poderá pensar na melhoria do padrão de serviço se já possuir padrão. Do contrário, manterá ações isoladas com resultados aquém do necessário, na maioria dos casos. Padronize e tenha visibilidade de seu negócio.

Use um sistema integrado de gestão

A cadeia de suprimentos é composta por diversos elos que precisam ser gerenciados de forma mais integrada possível. A produção puxa o setor de compras e ambas também influenciam o estoque, o qual impacta diretamente na saída para o cliente.

Sendo assim, o ideal é buscar a integração de diversos setores relacionados a essa cadeia. Para tanto, a gestão integrada é a melhor possibilidade e a tecnologia pode ajudar.

Ao contar com um sistema integrado de gestão, não apenas é mais fácil padronizar processos e otimizar seus resultados, como também há mais visibilidade sobre toda a cadeia.

Com isso, o recomendado é escolher um sistema que tenha a ver com as necessidades do negócio, maximizando a interação entre setores e seus resultados. Em longo prazo, esse investimento torna a cadeia de suprimento mais robusta e mais vantajosa.

Para otimizar os processos da cadeia de suprimentos, é preciso ampliar e melhorar o controle sobre a produção, assim como dar atenção a questões de estoque, fornecimento e entrega. A padronização de processos é outro ponto benéfico, e o uso de um sistema integrado de gestão maximiza os benefícios das ações, levando a uma cadeia ainda mais robusta.

Aproveite o espaço dos comentários e conte quais são os desafios que você encara com essa cadeia.

Domênico Meneguzzi
Sem comentários.
Comente