Prepare-se para os desafios da inovação

De um tempo para cá, parece que todas as empresas querem inovar. Mas o que isso realmente significa? E quais as reais implicações quando se decide seguir o caminho da inovação?

Antes de mais nada, é preciso entender que a inovação deve sempre acompanhar um alinhamento estratégico. Inovar simplesmente por querer aproveitar uma oportunidade que parece boa, pode não produzir os resultados esperados. A inovação tem que estar encaixada em uma visão de futuro da empresa, do posicionamento que ela deseja ter em um momento posterior, diferente da posição em que se encontra atualmente.

Gestão da Inovação

Um dos principais obstáculos nas empresas no que diz respeito à inovação é concentrar suas ações visando unicamente melhores resultados para os gestores, que tendem a se focar naquilo que a empresa faz no presente. A consequência disso é que as empresas utilizam os indicadores estratégicos para aperfeiçoar os processos e produtos já existentes e esquecem os aspectos criativos que levam à inovação.

Para vencer esse obstáculo, é preciso encaixar a inovação no planejamento estratégico da corporação. Uma das formas mais eficientes de se fazer isso é por meio do gerenciamento dos processos de inovação. Com a utilização de recursos, sistemas e processos adequados, as empresas conseguem inovar sem perder de vista o objetivo do negócio: rentabilidade.

As organizações precisam entender que a inovação deve ocorrer de forma organizada e sistemática, com objetivos claros e níveis de investimento bem estabelecidos, concentrando esforços em áreas alinhadas com a estratégia.

Outro ponto muito importante é que, diferentemente do que ocorre com simples melhorias e evoluções de produtos, a inovação é cercada de muitos riscos, que devem ser considerados e analisados, de forma qualitativa e quantitativa, antes que os investimentos sejam concretizados. Gerenciar os riscos de forma cuidadosa é um dos fatores críticos de sucesso para os projetos de inovação.

Inovação aberta 

Recentemente, a inovação passou a ser vista de forma ainda mais ampla ao permitir que seu início ou implementação ocorra externamente à organização, naquilo que vem sendo geschamado de inovação aberta.

Ao contrário do que ocorria tradicionalmente nos processos de inovação, quando as ideias eram geradas internamente na organização, as empresas vêm prestando cada vez mais atenção a todas as partes envolvidas, desde a comercialização ao uso de seus produtos e serviços. Dessa forma, clientes, distribuidores, parceiros e até mesmo fornecedores passam a contribuir com visões de oportunidades ou necessidades que possam conduzir a novos processos ou produtos.

Mas a inovação aberta não se resume a ouvir o mercado: novas oportunidades podem ser exploradas de forma externa à organização por questões estratégicas, táticas ou mesmo operacionais. Portanto, além de utilizar ideias internas e externas para a melhoria dos serviços, essa forma de inovação pode chegar ao mercado por meio de caminhos igualmente internos ou externos à instituição.

Caminho para o futuro

Com a crescente competitividade entre as empresas, é preciso buscar formas de se diferenciar junto ao cliente. Um dos caminhos para isso é, sem dúvida, a inovação, que deve passar a ser encarada cada vez mais como um dos instrumentos mais poderosos de concretização da estratégia organizacional. Claro que é preciso conhecer os riscos, desafios e oportunidades da inovação, mas com uma boa gestão dos processos envolvidos, é possível alcançar excelentes resultados.

Como a inovação é tratada em sua empresa? Conte aqui nos comentários.

Marcos Bernardes
Sem comentários.
Comente